Páginas

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

UM NOVO PARADIGMA DA GESTÃO


UNIVERSIDADE DE CUIABÁ
CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS
















UM NOVO PARADIGMA DA GESTÃO

ALINE BOSA
ANA PAULA QUEIROZ
ELIANE KELLER
EUNICE
IVALDO
LUCIANE PEREIRA DE SOUZA
MARCELO BICCA
NEVERSON MICHEL
POLLYANNA SCHUSTER
WESLEY REIZ GUIDE

















Sorriso
2012/2
ALINE BOSA
ANA PAULA QUEIROZ
ELIANE KELLER
EUNICE
IVALDO
LUCIANE PEREIRA DE SOUZA
MARCELO BICCA
NEVERSON MICHEL
POLLYANNA SCHUSTER
WESLEY REIZ GUIDE






UM NOVO PARADIGMA DA GESTÃO





Trabalho apresentado ao curso de Ciências Contábeis da Universidade de Cuiabá, como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Ciências Contábeis, sob orientação do Prof. Esp. Jazon Pereira










Sorriso
2012/2
SUMÁRIO

 







 


1. INTRODUÇÃO


Um paradigma é um conjunto de crenças e valores que sustentam uma sociedade.
A administração passa por varias transformações ao longo do tempo principalmente no Brasil onde tem mudanças significativas no âmbito organizacional e na gesto de empresas e pessoas.



























2. BREVE HISTORICO DA ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL


A administração no Brasil antes da era de Getulio Vargas foi dividida em dois períodos:

A gestão no contexto colonial e da casa grande e senzala

A administração colonial se tornou uma extensão de Portugal e foi do ano de
1500 a 1889, como o Brasil era colônia portuguesa tudo o que fosse produzido era levado a preço de banana pra ser vendido na Europa a altos valores assim o Brasil se tornara o responsável pela acumulação do capital português.
Outro fator que levava a acumulação de riquezas se dava ao fato de que os portugueses traziam os escravos através de navios negreiros e estes por sua vez trabalhavam em troca apenas de comida sem ter ao menos um local decente para se hospedarem eram tratados como verdadeiros animais enjaulados.
Assim brasileiros nativos, escravos e todos os que vieram morar no Brasil após o descobrimentos passaram a ser os subordinados a Portugal.
Nesse período também foram contatados erros na administração decorrente da personalização, com isso a falta de comando firme das instituições brasileiras como também a falta de homogeneidade da sociedade, os fidalgos não criaram o habito de empregos regulares, mais uma evidencia da falta de organização da administração da Colônia de Portugal.
Essa herança histórica deixa o Brasil com empreendedores aventureiros sem qualquer preocupação com o futuro que esta por vir ou com seus colegas ou funcionários, pensando só em seu bem pessoal se tornando a sim uma cultura brasileira que trouxe consigo a escravidão reinventada onde os escravos viraram objeto de comercio.
A administração era feita através da violência para com os escravos e havia apenas um comandante o senhor feudal que com seus engenhos angariavam riquezas com certa lentidão esse processo foi se alterando ate que as plantações de cana se tornaram café e então os senhores feudais se tornaram fazendeiros e em 1888 a escravidão finalmente foi abolida com isso os fazendeiros se tornaram empresário do mundo capitalista tendo que pagar salários aos funcionários.
Já no sistema capitalista o senhor feudal da lugar ao coronel ou sistema de coronelismo que exercia muita influencia sobre o poder da republica.
Em dez ano o numero de fabricas cresceu significativamente mas sem nenhum planejamento para gerir a manufatura industrial com isso o desenvolvimento nessa área foi atrasado em cem anos .

A gestão no contexto do liberalismo excludente

De 1889 a 1930 esta forma de gestão não deixou poder algum aos menos afortunados  e também não havia nenhuma regulagem de instancia maiores, com o fim da escravidão houve grande dificuldade para encontrar substitutos para continuar o trabalho dos escravos com isso vieram os imigrantes estrangeiros.
Nesse meio tempo a expansão industrial e a produção cafeeira aumentaram significativamente isso levou a um novo processo de gestão.


2.1      A GESTÃO NO CONTEXTO DA MODERNIZAÇÃO CONSERVADORA


Getulio Vargas logo que se tornou presidente já intensificou o processo e industrialização do pais, implantando um industria de base no pais com planejamento a longo prazo, não fazia mais tantas importações assim havia  incentivo a novas industrias na era Vargas se usavam vários termos que foram vistos em um passado muito recente, como corporativismo, trabalhismo, populismo, nacionalismo.

2.1.1   Modelo Corporativo e sua Influencia na Gestão


Corporativismo foi gerado após Getulio Vargas impor leis trabalhistas que davam direitos aos trabalhadores, pois os mesmos que não tinham nenhum anteriormente mas com isso os empregados e donos de empresa não podiam entrar em conflito algum pois Vargas se colocou como o verdadeiro juiz pois os trabalhadores estavam protegidos pela lei assim os empresários nada podiam fazer se não pagar os custos de impostos e taxas impulsionadas pelo governo.
Contudo os gestores se acomodaram já que em tudo isso quem comandava no final era Getulio.


2.2      GLOBALIZAÇÃO E GESTÃO NO BRASIL


Com a globalização no Brasil as empresas foram praticamente sugadas por outras muito maiores e as que conseguiram sobreviver não tinham qualquer conhecimento com o comércio exterior , e também não investiam e tecnologia por ainda verem, de um período de acomodação a mudança foi muito severa., pois o Brasil não tinha Mao de obra qualificada ficando assim novamente para o governo e empresas a tarefa de oferecer esse conhecimento tecnológico e especifico.

  2.2.1 Desafios da Globalização


Um dos grandes desafios da globalização é de acompanhar o desenvolvimento tecnológico que os outros países já tem há muito tempo, já que o Brasil tem uma herança de acomodação o seu processo de industrialização e de modernização foi atrasado por muito tempo sendo assim investimentos de grande valor devem ser feitos para que se consiga acompanhar de igual pra igual o desenvolvimento mundial outro grande desafio da globalização da gestão é combater o desemprego em diversos setores da indústria, tanto pelo deslocamento dessas indústrias para países com baixo custo na abertura de indústrias transnacionais quanto na troca de serviço de mão de obra para automatizado, que substitui o homem pela máquina, obtendo assim mais agilidade na produção, mas com isso precisa–se de mão de obra qualificada e um certo grau de estudo pra poderem operar tais máquinas, causando assim uma certa dificuldade para se ingressar nessas empresas.


 


3. CAMINHOS DA INOVAÇÃO


Para obter sucesso no caminho da inovação deve –se manter foco em alguns quesitos imprescindíveis são eles:
          Pesquisa e investigação;
          Participação e negociação;
          Pessoas e no trabalho;
          Educação;
          Conhecimento e aprendizado;
          Próprio processo e inovação.
Seguindo esses quesitos o empreendedor terá uma grande chance de sua empresa obter sucesso,  pois o planejamento bem feito sempre traz bons frutos.


3.1 A LEGITIMIDADE DA GESTÃO


Reconhecer a importância de se gerir bem uma empresa com negociação e participação.

3.1.1   A Perspectiva da Negociação na Gestão


A negociação vem para resolver qualquer tipo de conflito na organização, que se confunde muitas vezes com chegar a um acordo com uso de estratégias e de trocas de favores onde apenas uma parte é beneficiada, esse processo sempre envolverá duas ou mais partes sempre buscando um acordo onde ninguém seja eliminado uma negociação de cinco formas de terminar, perde-perde, perde-ganha, ganha-perde, ganha-ganha, ou nenhum resultado.
Contudo deve se observar que uma negociação pode ir muito alem do escritório pode envolver partes de fora da empresa e ate de outras empresas por isso é imprescindível sempre estar atento.


3.1.2   O Contexto e o escopo da negociação


E negociação permite planejamento racional e feito em etapas feito entre empresas, departamentos, entre organizações internacionais, entre países e em vários outros casos, sempre levando em consideração todas as partes com transparência para que todas se sintam confiantes de que a decisão tomada foi a melhor para ambas as partes.

3.1.3 A Participação e a Negociação na Administração


A negociação é a melhor maneira de resolver e administrar conflitos, mas somente com isso não se chegara a lugar algum deve se haver participação de todos como na tomada de decisões, na comunicação, liderança e ET Cetera.
Com a administração compartilhada e negociada e participativa tem se sempre uma ordem democrática amplamente afirmada.
A democracia nas organizações nos processos de gestão devem ser resgatados pois com isso sempre haverá inovação e desenvolvimento sustentável.

 

3.2      PESSOAS E TRABALHO NAS ORGANIZAÇÕES


Com a terceirização que hoje cresce nas empresas fica difícil valorizar os colaboradores, também existe o fato dos cortes de gastos começando com os funcionários, então a melhor maneira de se fazer isso é dando poder de decisão para mais de uma pessoa, pois com a redução dos níveis hierárquicos fica mais fácil solicitar tais decisões dos funcionários.

3.2.1   O Cenário Global


O cenário global das organizações foi alterado as novas metas a serem seguidas agora são: flexibilidade, competitividade, inovação, conhecimento, e redução de custos.
A preocupação cresceu com a gestão das pessoas e sua capacitação profissional também contudo isso as pequenas empresas lutam para sobreviver diante das grandes que por onde passam vão se agregando e tomando o espaço que antes era cativo.

 

3.2.2   O Controle das Pessoas e do Trabalho Sobre a Gestão


A necessidade de controlar com eficiência e com eficácia surgiu com a gestão , controle, produtividade, e competitividade tudo isso se some e tem por si so o nome de controle mas no âmbito de uma empresa esse controle pode passar a controlar sozinho pois, a mesma pessoa que implantou um sistema gestão com corte de gastos e de pessoal  pode vir a ser demitida por não ter mais serventia depois que seu trabalho tenha sido realizado com êxito.


3.3      A INOVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES.


Mostra o caminho da inovação em administração, neste capitulo o tema inovação será abordado em três movimentos:
          Educação voltada para a mudança e a questão do aprendizado nas organizações;
          O empreendedorismo como necessidade e como oportunidade;
          Processo de inovação.

3.3.1   Educação e Inovação


Para obter a inovação deve-se sempre revezar entre educação mudança e tecnologia da informação, pois a mudança não é tida mais como escolha e sim sobrevivência, porque o conhecimento esta sofrendo profundas transformações então a educação tendo como matéria prima o conhecimento se tornou uma forma de estratégia.
A sociedade se organiza em rede, sendo assim rapidamente uma pessoa que esta em alguma área distante pode participar do mundo dos negócios através da internet, o setor busca amplitude com diminuição de gastos, competitividade e maior lucro, a mesma pessoa que esta no mundo dos negócios também passam a ser consumidores para que o ciclo se feche .
No Brasil há grande absorção de tecnologia, mas muito tempo e dinheiro ainda se perdem pela utilização incorreta dos recursos, para que esse quadro tenha uma mudança significativa as organizações devem investir em treinamento , o governo deve dar incentivo e a principal  de todas o conhecimento deve ter a base desde o ensino fundamental para que estejam preparados para utilizar de forma plena todo o aparato de informações disponíveis.
Não há como fugir da mudança e seus desafios.
As empresas vêm se preocupando com a área educacional assim investem em processos de aprendizado e inovação organizacional.

3.3.2 Aprendizado Organizacional e Gestão do Conhecimento


A gestão do conhecimento  tem que ter estruturas baseadas na tecnologia da informação com conhecimentos verdadeiros e validos para se chegar a esse conhecimento deve se trabalhar com seriedade nas decisões de como utilizar estes conhecimentos  e também deve se garantir o grau de eficiência com o uso desse conhecimento.

3.3.3 O Aprendizado Organizacional no Brasil


No Brasil o aprendizado organizacional foi importado por empresas modernas que se instalaram no Brasil para se manter em atividade na globalização.
O Brasil tem o grande desafio de adentrar no aprendizado e na inovação tecnológica.





 

4. CONCLUSÃO



Vimos que a administração passou por grandes mudanças ao longo dos anos e que suas ferramentas de trabalho também mudaram e cabe aos gestores, gerentes, donos de empresas estarem sempre acompanhando as inovações para poderem sempre acompanha-las e estarem no mercado competitivo que se criou desde a globalização.
No Brasil o cenário vem de uma forma diferente do resto do mundo, toda sua estrutura vem de certos vícios de épocas passadas sendo assim que por conta destes muito se atrasou em questão do desenvolvimento, mas com investimento na área do conhecimento e da tecnologia conseguirão alcançar patamares mais altos.




















REFERENCIAL


Internet

http://www.cedet.com.br/index.php?/Tutoriais/Gestao-da-Inovacao/educacao-para-inovacoes-nas-organizacoes.html     acesso em 30/11/2012
http://diego1dias.blogspot.com.br/2011/06/vargas-e-modernizacao-conservadora.html  acesso em 04/12/2012
http://www.mundoeducacao.com.br/historiadobrasil/o-corporativismo-na-era-vargas.htm acesso em 06/12/2012
http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI1148944-EI7095,00.html acesso em  06/12/2012

Livros
MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Teoria Geral da Administração: da revolução urbana à revolução digital. 4 ed. São Paul: Atlas, 2004.
NOGUEIRA, Arnaldo José França Mazzei. Teoria Geral da Administração para o século XXI. São Paulo: Atica, 2007.

Nenhum comentário:

Postar um comentário