Páginas

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

RESENHA CRITICA DO LIVRO “O MONGE E O EXECUTIVO” MONICA LUZIA SINHORI



UNIVERSIDADE DE CUIABÁ
CURSO DE CIENCIAS CONTABEIS

 

RESENHA CRITICA DO LIVRO “O MONGE E O EXECUTIVO”

MONICA LUZIA SINHORI























Sorriso
2012/2
MONICA LUZIA SINHORI

















RESENHA CRITICA DO LIVRO “O MONGE E O EXECUTIVO”






Resenha critica apresentada ao curso de Ciências Contábeis da Universidade de Cuiabá, com requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Ciências Contábeis sob orientação do Prof. Esp. Jazon Pereira.



















Sorriso
2012/2
1 APRESENTAÇÃO                                                                                    


O livro conta a história de John Daily , que era um executivo bem sucedido, pai e esposo. Ele percebe aos poucos que esta fracassando no sentido de chefe, pai e esposo. Passava por um período difícil. A boa aparência que tinha a vida boa que aparentava ter. Mas nem todas as coisas são como parecem ser. Como dizem “as aparências enganam”. Para tentar melhorar, ele resolve participar de um retiro sobre liderança, que se chama João da Cruz. chefe se chamava Leonard Hoffman, que era um ex-executivo que havia abandonado tudo para tentar uma vida nova.
Logo no primeiro capítulo ele fala sobre as definições. Saber ouvir as pessoas, amor, humildade e submissão. São as definições básicas de um bom líder. No nosso dia-a-dia temos que saber tomar decisões importantes, tendo a humildade com as pessoas que estão em nossa volta. Um comentário muito importante de Hoffman foi “é importante tratar os outros seres humanos exatamente como você gostaria de ser tratado”. E isso é a mais pura realidade. Hoffman deixa clara a diferença entre Liderança e Poder.
Liderança seria a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasmadas para atingir seus objetivos. E o Poder seria a faculdade de forçar alguém a fazer sua vontade, por causa de sua posição, mesmo que a pessoa não queira fazer.
No capítulo seguinte ele fala sobre o velho paradigma. Que são padrões psicológicos, modelos ou mapas que usamos para navegar na vida. Nossos paradigmas podem ser valiosos e até salvar vidas quando usados adequadamente. Mas ao mesmo tempo podem se tornar perigosos, se não for usado adequadamente. Quando desafiam nossas idéias, tentamos mostrar que elas são úteis, mas nem sempre acontece isso. Contanto no dia-a-dia devemos saber ouvir as idéias das outras pessoas, que podem também nos abrir caminhos melhores.
No livro o velho paradigma quem está sempre no topo da pirâmide é o chefe. E isto está errado, consequentemente no novo paradigma quem está no topo da pirâmide são os trabalhadores. Pois são eles que fazem manter um negócio, uma empresa, mantendo os clientes fieis, pois um bom atendimento é a alma do negócio.
Já no próximo capítulo fala do modelo de líder que queremos ser. Jesus é o melhor exemplo, pois não usava Poder, mas usava a autoridade, porque tinha a conquistado com amor e humildade, sabendo também servir o próximo. ”Se você quiser liderar deve servir”. Jesus inspirou um modelo de liderança, que são eles:
Liderança
Autoridade
Serviço e Sacrifício
Amor
Vontade
A liderança que se exerce em longo prazo, suportando o teste do tempo, deve ser construída sobre autoridade. E a autoridade a partir do serviço e talvez do sacrifício pelos outros. Para finalizar, liderança é a identificação e satisfação das necessidades.
No quarto capítulo o verbo, a grande ideia desenvolvida é facilitar discussões e extrair pensamentos interessantes de cada participante é muito importante para um líder atuar. Ele fala bastante também sobre o amor entre familiares seus relacionamentos, amor fraternal, amor incondicional, fazer o bem sem querer nada em troca. O amor e a liderança andam juntos, assim ele resume o caráter de um líder: paciência, bondade, humildade, respeito, generosidade, perdão, honestidade e compromisso.
O ambiente requer mais para a área administrativa: a criação de ambientes favoráveis para que aconteça o crescimento. O relacionamento que as pessoas têm entre si é algo decisivo para o seu crescimento e desenvolvimento durante a vida.
No capítulo seis, ele fala sobre a escolha, onde o tema principal é o comportamento, o livre arbítrio e a responsabilidade sobre nossos atos. Cada ser humano tem a chance de fazer escolhas em sua vida. Às vezes acertando e às vezes errando. Todo tem essa chance e o que realmente importa é o que fazemos. Somos livres para escolher, basta apenas saber escolher. Uma das participantes fala que: “Pensamentos tornam-se ações, ações tornam-se hábitos, hábitos tornam-se caráter, e nosso caráter torna-se nosso destino”. Concordo plenamente com essa citação é a mais pura realidade.
A recompensa é algo que todos queremos um bom trabalho realizado, um ótimo desempenho, consequentemente virá a recompensa mais cedo ou mais tarde. Nem que seja em experiência adquirida. Para cada esforço, vem a recompensa. Mas às vezes o medo de fracassar nos faz desistir e ignorar as necessidades. Em muitas vezes negamos o direito de conquistar nosso espaço, assim fracassando. Deixando-nos levar por influência dos outros, com medo principalmente de ser demitido. Devemos ir devagar com pequenos passos nem que não atinja numa jornada em curto prazo nenhuma recompensa, mas ao longo prazo com certeza virá à recompensa. Acima de tudo está Deus e ele com certeza veem os seus passos e esforços e saberá colocar algo muito bom em nossas vidas, se isto alcançados com honestidade é claro.













Conclusão

O livro o monge e o executivo nos apresentam uma fascinante história real sobre Liderança. Onde aprendemos com ele como saber liderar um bom negócio, a família e o lar. É uma história incrível, eu aprendi muito com ela e vou levar para toda a vida. Ajuda-nos a melhorar nosso comportamento com as pessoas e abrir caminhos para nossa vida futura. Ele nos mostra de um modo prático como podemos gerenciar grupos, motivar e incentivar as pessoas a atingir um objetivo beneficiando a todos. 












Referencias
Hunter James c; O Monge e o Executivo: uma história sobre a essência da liderança. Editora Sextante, Rio de Jan. 2004.



Nenhum comentário:

Postar um comentário